- PUBLICIDADE -

MPF vai avaliar se Fabio Wajngarten cometeu crime de falso

Author

Categories

Share


Após confusão com ameaça de prisão durante sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid nesta quarta-feira (12), o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten poderá responder por crime de falso testemunho

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que enviará o depoimento prestado pelo ex-secretário à comissão para o Ministério Público Federal (MPF).

Aziz, que tomou a medida após pedido do senador Humberto Costa (PT-PE), afirma querer que o MPF faça uma avaliação sobre o depoimento e diga se ele cometeu o crime de falso testemunho.

:: Brasil mantém média de novos casos de covid em alta, com mais de 76,6 mil em 24h ::

Em despacho lido durante a reunião, Aziz diz que é preciso tomar providências no sentido da apuração e até da responsabilização do ex-secretário, “inclusive com a aplicação de penas restritivas de direito”.

De acordo com o Código Penal brasileiro, quem fala uma mentira em um processo judicial, inquérito policial ou comissão parlamentar de inquéito pode ser punido com prisão de dois a quatro anos e multa.

Durante a reunião desta quarta, senadores avaliaram que Wajngarten mentiu em seu depoimento em diversas oportunidades. Ele chegou a sofrer uma ameaça de prisão por parte do senador Renan Calheiros (MDB-AL) porque, como testemunha, tem o dever legal de dizer somente a verdade.

Durante a sessão, aconteceu um bate-boca entre o relator da CPI, Renan Calheiros, e um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Durante a celeuma, Calheiros chegou a ser chamado de “vagabundo” por Flávio, e respondeu dizendo que o filho do presidente “rouba salário de assessores”.

Edição: Vinícius Segalla



Source link

Author

Share