- PUBLICIDADE -

China lança nave para abastecer futura estação espacial do país

Author

Categories

Share


O lançamento da nave de carga chinesa Tianzhou-2 foi concluído neste domingo (30). De acordo com a a Agência Espacial de Missões Tripuladas (AEMT), o compartimento não tripulado levou combustível e outras provisões para a estação espacial da China, que segue em construção.

O foguete foi lançado no último sábado (31), com o objetivo de se acoplar no Tianhe, o módulo principal de 22 toneladas da futura estação que foi lançado em órbita baixa da Terra no último dia 28 de abril. A intenção é que os equipamentos entregues pela nave permitam a chegada de astronautas.

publicidade

Tianzhou-2 antes do lançamento Imagem: AEMT

Esse inclusive é o próximo plano para o Tianhe. Em breve, a missão Shenzhou-12 deve levar três pessoas para a estação espacial da China, marcando uma espécie de pré-inauguração. O objetivo é concluir as obras do módulo até 2022, para isso vão ser necessários 11 lançamentos. Após a conclusão, o módulo vai receber o nome de Tiangong e terá vida útil de 10 anos, que pode ainda ser estendida.

Estação espacial da China

Apesar disso, o projeto de uma estação espacial própria da China já existe há cerca de 30 anos e o país já montou outras estruturas semelhantes. Em 2011, por exemplo, a AEMT colocou em órbita o Tiangong-1, um laboratório espacial que recebeu algumas tripulações de astronautas até 2013.

A Tiangong também será bem menor que a Estação Espacial Internacional (ISS), com um quarto de sua massa. “Não temos a intenção de competir com a ISS em termos de escala”, disse Gu Yidong, cientista-chefe do programa espacial chinês. O objetivo da estrutura do gigante asiático é suprir as necessidades científicas do país.

Leia também:

O lançamento do Tianhe também enfrentou críticas após o estágio inicial do foguete que transportou o módulo cair na terra de forma descontrolada. As peças atingiram o oceano Índico no dia 8 de maio, 10 dias após ficarem em órbita. O mesmo não deve ocorrer com a Tianzhou-2, já que o primeiro estágio do foguete não chega a atingir a órbita e vai descer de forma direta para uma zona de eliminação pré-selecionada no oceano.

No início do mês, a China também conseguiu colocar a sonda Tianwen-1 e um rover em Marte, se tornando o terceiro país, após os Estados Unidos e a Rússia, a conseguir atingir o solo do planeta vermelho.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!





Source link

Author

Share