- PUBLICIDADE -

Assistência para religiões de matrizes africanas – Agência Brasília

Author

Categories

Share


O governador Ibaneis Rocha recebeu, nesta quinta-feira (16), representantes de religiões de matrizes africanas para debater a reforma da Praça dos Orixás – próxima à Ponte Costa e Silva – ; a atualização e regularização dos terreiros; além do registro desses locais como patrimônio cultural.

“Precisamos manter um ambiente de boa convivência entre todas as religiões no Distrito Federal. Sempre estaremos de portas abertas para receber todos os representantes”Governador Ibaneis Rocha

O encontro ocorreu no Palácio do Buriti com a participação dos secretários de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues, e de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

“Precisamos manter um ambiente de boa convivência entre todas as religiões no Distrito Federal. Sempre estaremos de portas abertas para receber todos os representantes”, destacou o chefe do Executivo. “O governo reconhece o trabalho social e cultural dessas entidades, o que é de extrema importância para a população capital”, completou.

O secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues, explicou que houve perda total de uma das esculturas das divindades africanas da Praça dos Orixás – que amanheceu incendiada em 26 de agosto deste ano. “Estamos fazendo um levantamento das outras que estão danificadas para sabermos o que precisa ser reformado e debater com o autor da obra”, comentou.

A reforma da Praça dos Orixás, a regularização dos terreiros e o registro deles como patrimônio cultural foram os pontos tratados na reunião entre Ibaneis Rocha e os representantes religiosos | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

“O governador se comprometeu a dar agilidade ao processo que está na Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) e, pessoalmente, vai se encarregar de iniciar a licitação junto à Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital)”, informou Bartolomeu Rodrigues.

“O mapeamento dos terreiros é importante para fomentarmos políticas públicas. Também já temos um grupo de trabalho formado para a questão da regularização fundiária com várias secretarias de governo”Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

“Já estamos realizando o processo de registro de patrimônio dos terreiros para fazer o tombamento desses espaços. É um pouco lento porque há ritos que podem durar anos, mas estamos empenhados em dar o registro do pré-tombamento que já garante a preservação do local”, adiantou.

Com relação ao mapeamento desses espaços, a Secretaria de Justiça e Cidadania também está envolvida no processo. “É importante para fomentarmos políticas públicas. Também já temos um grupo de trabalho formado para a questão da regularização fundiária com várias secretarias de governo. Hoje foi um encontro de alinhamento e respeito que a religião de matriz africana, assim como todas as outras, merece e tem direito”, ressaltou a titular da pasta, Marcela Passamani.

Depredação

O governador Ibaneis Rocha visitou a Praça dos Orixás dois dias depois da depredação. Na ocasião, ele repudiou a ação. O caso está sendo investigado como intolerância religiosa pela Polícia Civil do DF (PCDF). A Praça dos Orixás tem 16 estátuas que representam as divindades africanas. Elas foram feitas pelo artista baiano Tatti Moreno e são similares às que flutuam no Dique do Tororó, em Salvador.

No ano-novo de 2015, a estátua de Oxalá também foi queimada e, atualmente, uma roupa feita de TNT esconde os estragos na escultura. “O governador abriu os braços e nos recebeu com muito carinho. Ele conhece nosso segmento e vai dar um encaminhamento com muito cuidado e atenção. O nosso povo cobra essa devolutiva, já são 500 anos de luta”, afirmou um dos representantes de religiões de matrizes africanas que participou da reunião desta quinta (16), Baba Joel.



Source link

Author

Share