GDF licita projeto de drenagem para Taguatinga – Agência Brasília

Author

Categories

Share


O Governo do Distrito Federal (GDF) vai colocar em prática projeto de drenagem para solucionar de forma permanente os problemas de alagamentos e inundações na parte norte de Taguatinga. Uma demanda de mais de dez anos da população local, que agora está próxima de sair do papel. O primeiro passo foi dado esta semana com o lançamento do edital de licitação para contratação de empresa para revisar e readequar os projetos de escoamento das águas pluviais nas áreas de contribuição de 18 bacias da Região Administrativa.

“Somente com um projeto qualificado, conseguiremos realizar de forma eficiente e econômica esta obra grande e complexa, mas essencial para a qualidade de vida da população local”Luciano Carvalho, secretário de Obras

No valor estimado de R$ 3.428.735,52, o edital prevê ainda que a empresa contratada realize o apontamento de soluções para recomposição do pavimento asfáltico, meio-fio, sinalização viária e urbanismo de áreas determinadas. A licitação será realizada no dia 29 de junho, às 9h, na Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). Os interessados podem acessar o edital e anexos no site.

“Somente com um projeto qualificado, conseguiremos realizar de forma eficiente e econômica esta obra grande e complexa, mas essencial para a qualidade de vida da população local”, comenta Luciano Carvalho, secretário de Obras do GDF.

Além da drenagem, está prevista a elaboração dos projetos urbanísticos e executivos das vias de ligação entre as avenidas Samdu e Comercial. A proposta deverá apresentar, entre outros, o levantamento de quantitativos de serviços com os respectivos memoriais de cálculo, a planilha orçamentária, o caderno de especificação técnica, além do cronograma físico-financeiro.

Adequação no projeto

Com o objetivo de atestar a atualidade e exequibilidade das obras, a Secretaria de Obras, conforme Portaria nº 108, de 9 de julho de 2019, revisa todos os projetos, depois de decorridos mais de dois anos da data da aprovação ou da última revisão.

“Desta forma, considerando o tempo desde a entrega dos projetos executivos do Águas do DF-Taguatinga, em 2008, é necessária a atualização às normas vigentes, o que pode acarretar em alterações parciais ou totais dos projetos. Além do que, a estrutura atual da secretaria não dispõe de equipe técnica suficiente que possa viabilizar a readequação dos referidos projetos”, explica a engenheira Ery Brandi, subsecretária de projetos, orçamentos e planejamento de obras.

Ainda de acordo com a subsecretária, o projeto existente foi elaborado considerando galerias moldadas in loco, técnica construtiva considerada defasada. “A ideia é readequar o projeto existente a partir de estudos preliminares com a previsão de uso de técnicas do Método Não Destrutivo (MND), como o tunnel liner, indicado para a realização de obras subterrâneas em diferentes tipos de solo, especialmente em áreas urbanas sem interferência com a superfície”, explica.

Segundo ela, “a execução de galerias moldadas in loco traria um constante transtorno para a população e grandes entraves na circulação e no desenvolvimento econômico da referida cidade, principalmente nas Avenidas Samdu, Comercial Norte e Central e por consequência, nas demais áreas das cidades.

 

*Com informações da Secretaria de Obras



Source link

Author

Share