Rio: Relatório aponta falta de quatro medicamentos usados no

Author

Categories

Share


Quatro medicamentos usados para tratar pacientes graves de covid-19 com necessidade de intubação estão em falta em unidades como o Hospital Federal do Andaraí, o Hospital dos Servidores do Estado e os Hospitais Municipais Souza Aguiar, Miguel Couto, Albert Schweitzer e Rocha Faria, no Rio de Janeiro. A informação foi obtida pelo jornal Extra a partir de um documento interno da Secretaria Estadual de Saúde (SES) do Rio de Janeiro protocolado na sexta-feira (21). 

De acordo com o despacho da Superintendência de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos da SES obtido pela reportagem,”não há qualquer cobertura temporal” disponível dos seguintes fármacos: o bloqueador neuromuscular cisatracúrio (2mg/ml, 5ml), o analgésico fentanila (0,05mg/ml, 10ml), o sedativo propofol (10mg/ml, 100ml) e o naloxona (0,4mg/ml, 1ml), que reverte o efeito dos sedativos.

Leia mais: Rio de Janeiro tem alta de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG)

Os dados mostram que a demanda dos remédios do “kit intubação” explodiu a partir do mês de abril, quando o estado do Rio atravessou a terceira onda da covid-19. O consumo total de cisatracúrio e de rocurônio, outro bloqueador neuromuscular, no mês passado foi três vezes maior do que em março, e o de fentanila, duas vezes maior.

Os medicamentos do “kit intubação” são providenciados pelo Ministério da Saúde. Segundo o Extra, diante da crise de abastecimento, a SES aderiu diretamente a uma ata de preços este ano.

De acordo com o LocalizaSUS, 2.540.529 unidades dos 21 medicamentos do “kit intubação” foram distribuídos aos estados em maio. Um patamar semelhante ao total de março, período a partir do qual os hospitais do Rio de Janeiro e do Brasil começaram a registrar a escassez desses medicamentos.

O Brasil de Fato procurou a Secretaria de Estado de Saúde para obter esclarecimento sobre o esgotamento dos medicamentos que compõem o “kit intubação”. Até o fechamento desta reportagem a equipe não recebeu retorno.

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Jaqueline Deister



Source link

Author

Share