- PUBLICIDADE -

HU/UEL completa 50 anos com importante atuação na pandemia da Covid-19

Author

Categories

Share

Mais de 15 mil pessoas atendidas apenas durante a pandemia do novo coronavírus. Com essa marca, o Hospital Universitário (HU) da Universidade Estadual de Londrina (UEL), que acaba de completar 50 anos, fica marcado como um dos principais centros de tratamento e reabilitação contra a Covid-19 no Estado.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, foram 15.698 pessoas atendidas pela estrutura hospitalar, e 5.305 necessitariam de internamento (33%). O hospital disponibiliza 213 leitos exclusivos para tratamento da doença, sendo 96 de enfermaria, 106 de UTI adulto e 11 de UTI pediátrica.

Ao todo, o Governo do Estado investiu R$ 41,4 milhões exclusivamente em ações relacionadas ao combate à pandemia na instituição. “Temos muito orgulho do que foi feito no Hospital Universitário de Londrina nesse período de pandemia. Foi um esforço incansável de todos os trabalhadores, somado aos investimentos do Governo, que garantiram um atendimento de qualidade para milhares de paranaenses”, destaca o superintendente de Ciência, Tecnilogia e Ensino Superior, Aldo Bona.

Único hospital público de grande porte da região Norte do Paraná, o HU/UEL é considerado um centro de referência para o Sistema Único de Saúde (SUS) e um modelo estadual em atendimentos de maior gravidade e de alta complexidade. Também é a ponte entre acadêmios das áreas da saúde e o mercado de trabalho.

O HU está vinculado ao Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UEL e, como hospital-escola, tem papel fundamental na prática do Ensino, da Pesquisa e da Extensão. Também serve como campo de estágio para estudantes dos cursos de graduação em Medicina, Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia, além de programas de estágio em outras áreas, como Administração e Serviço Social.

“O hospital foi concebido na premissa que os estudantes da área da saúde necessitam para seu processo formativo de atividades práticas. E essa é uma experiência muito bem sucedida. O hospital ganhou relevância e virou referência para a saúde de Londrina e de toda a região do Estado”, ressalta o reitor da UEL Sérgio Carvalho.

RECUPERAÇÃO – Pacientes que tiveram alta hospital pós-Covid-19 do HU/UEL e ainda apresentaram algum sintoma decorrente da doença também participaram de um programa de reabilitação ofertado por um projeto de pesquisa do Departamento de Fisioterapia, do Centro de Ciências da Saúde (CCS). A ação consistiu em exercícios ambulatoriais e domiciliares com duração de oito semanas.

A coordenadora do projeto, Vanessa Suziane Probst, professora do Departamento de Fisioterapia, conta que foram realizados testes para identificar a limitação física e funcional dos pacientes. Além do apoio para a recuperação, o estudo ajuda a embasar profissionais da saúde para lidar com uma doença que ainda é nova.

“Proporcionamos um benefício para o paciente, em termos de ganho físico funcional e também diminuição dos sintomas”, afirma Vanessa.

Após a conclusão do programa de exercícios, foram repetidos todos os testes para identificar se os pacientes conseguiram aumentar a recuperação e diminuir os sintomas existentes.

TESTAGEM – O HU/UEL, por meio de um convênio realizado com a Prefeitura de Londrina, também foi responsável por aplicar 83 mil testes para diagnóstico da Covid-19. O número é considerado expressivo, já que a maioria dos municípios brasileiros nem sequer possui um programa próprio para testagem e depende dos exames fornecidos pelo Ministério da Saúde.

Todas as amostras do RT-PCR que chegam ao HU até às 11h da manhã ficam com o resultado disponível até as 19h do mesmo dia; já o resultado dos exames entregues após 11h são emitidos no dia seguinte. Esse serviço é realizado todos os dias, sem interrupções nos finais de semana ou feriados. O laboratório é credenciado pelo Lacen-PR.

SERVIÇOS – Além de toda a qualificação técnica e de infraestrutura, o HU/UEL mantém serviços de referência no atendimento à população. Entre eles o Ambulatório de Especialidades, o Centro de Tratamento de Queimados e o Hemocentro Regional de Londrina, que atende hospitais da 17ª Regional de Saúde, Telemedicina e Telesaúde, o Centro de Assistência Toxicológica – que presta assessoria e orientação em casos de intoxicação ou exposição a agentes tóxicos. Entre outros serviços, estão também o Banco de Leite Humano e a Unidade Neonatal, com destaque para o Método Canguru.





Source link

Author

Share