- PUBLICIDADE -

Composição de Nonato Soledade vence 1º Festival da Canção Macapaense com homenagem a sambista

Author

Categories

Share

Foto: Júnior Dantas

‘Macunaíma’, de autoria de Nonato Soledade e interpretação de Silmara Lobato, arrematou a premiação máxima do 1º Festival da Canção Macapaense (Fescam). A música faturou o troféu de campeã e mais a quantia de R$ 8 mil. A competição aconteceu neste domingo (19) e celebrou o estímulo à produção musical e aos compositores tucujus, valorizando o cenário musical amazônico.

“Eu sou compositor de samba e o meu primo Macunaíma era uma figura ilustre do Boêmios do Laguinho. Fizemos essa música tão bonita em homenagem a ele. Graças a este evento da prefeitura ele ficará eternizado. Estamos ansiosos para a próxima edição presencial do festival”, comentou Nonato.

A música ‘Macunaíma’ rendeu a premiação de Melhor Intérprete à Silmara Lobato, artista renomada no cenário musical amapaense, com 26 anos de carreira. Além do troféu, a artista receberá prêmio em dinheiro.

“Pela primeira vez recebo o reconhecimento como melhor intérprete em todos esses anos de carreira. Batalhei muito por isso. Me arrisco dizer que não sou cantora, mas sim intérprete. A música Macunaíma foi feita com o coração e representa a história de um amigo. É uma emoção ímpar e estou realmente tremendo. O Fescam marcou a minha vida e ficará para sempre”, diz emocionada a artista.

Foto: Júnior Dantas

Premiações
‘Nega Jolie’, de Amadeu Cavalcante e interpretada por Cléverson Baia, ficou em segundo lugar na competição. A canção remete à história da cultura macapaense, falando sobre quilombos.

“Faço canções que falam da nossa terra. As pessoas pensam que os quilombos estão distantes, mas não, ficam bem próximos. A música Nega Jolie fala de uma mulher que esteve no Maruanum, no Curiaú e no Mazagão, demonstrada de forma poética. A canção deseja valorizar as belezas da nossa região. A cultura é para sempre e como sou religioso, digo que é uma dádiva de Deus”, comenta Amadeu.

‘Lanterna Chinesa’, de Nitai Santana, venceu duas categorias: o terceiro lugar e o melhor arranjo. O artista é neto do Mestre Oscar Santos e compõe a nova geração da Música Popular Amapaense (MPA). A música representa um fazer cultural produzido manualmente e que faz parte de uma tradição milenar.

“É uma honra e um privilégio receber duas premiações na minha primeira participação em um festival de música, ao lado de compositores maravilhosos. A música nasceu a partir da letra, inspirada no poeta Aldo Gatinho e foi finalizada durante a pandemia. Lanterna Chinesa tem toda uma contextualização, pois representa uma passagem ritualística, que atrai festividade. Na nossa canção, as lanternas iluminam uma lembrança e um enigma de uma paixão de dois amantes que foram para direções opostas, sendo uma viagem poética’’, explica Nitai.

Melhor Música Popular
‘Um Açaí para Arrematar’, de Lene Balieiro, venceu a categoria Melhor Música Popular, com mais de 17 mil votos durante votação online. A canção narra sobre as várias espécies de peixes populares na região amazônica, que acompanhados de uma bela tigela de açaí, deliciam as comunidades nortistas. Além de troféu, a intérprete ganhou uma premiação em dinheiro.

Premiação simbólica
O prefeito de Macapá, Dr. Furlan, recebeu também um troféu simbólico em nome da gestão municipal, por ser incentivador da cultura macapaense. O Fescam foi o primeiro festival em âmbito municipal e teve o investimento de aproximadamente R$ 18 mil em premiações para valorização da música amazônica, com recursos oriundos da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), através do programa Macapá Tem Cultura.

Apresentações
O terceiro dia de festival contou com uma Live Show da cantora Patrícia Bastos, além das apresentações das 10 canções finalistas, por ordem de sorteio.

CONFIRA AQUI A 3ª NOITE DO FESCAM

A competição iniciou com a canção ‘Sina (I) dos tempos’, de autoria de Carol e com interpretação de Alber Matos. Seguida de ‘Amazônia, Meu País’ de Cley Lunna; ‘Lanterna Chinesa’, de Nitai Santana; ‘No Pé do Tambor’, de Zaqueu Santos e interpretação de Lene Balieiro; ‘Oração’, do compositor e intérprete João Amorim; ‘Jardineiro Cantor’, de Harinama Sukhi Das;

Os espetáculos musicais seguiram com as apresentações de ‘Nega Jolie’, de autoria de Amadeu Cavalcante e interpretação de Clérveson Baia; ‘Pororoca’, de Sabrina Zahara; ‘Avepoema’, do compositor Aroldo Pedrosa e interpretação de Alber Matos; finalizando com ‘Macunaíma’, de Nonato Soledade e interpretação de Silmara Lobato.

Além disso, as 10 canções finalistas e a música mais popular irão compor um CD produzido pela organização do evento, que será disponibilizado nas plataformas digitais. O 1º Festival da Canção Macapaense tem organização da CIA. Oi Noiz Aki, representada neste festival pelo diretor artístico Cláudio Silva.

Foto: Rogério Lameira





Source link

Author

Share