- PUBLICIDADE -

Como interpretar sonhos: 10 dicas para entender o seu subconsciente

Author

Categories

Share

Reprodução/Instagram

Luisa Mell desabafa sobre relacionamento abusivo

Luisa Mell foi acusada nesta semana de não ter ajudado uma jovem que foi vítima de um acidente no qual a ativista esteve envolvida, em 2008. A jovem, que estava com o namorado, caiu da moto ao ser atingida pelo carro da ativista e ficou em estado vegetativo. Neste sábado (9), por meio de vídeos em seu stories no Instagram, Luisa Mell desabafou sobre o caso e disse ter como provar que já foram doados mais de mais de 200 mil reais em ajuda para a família.

A história é contada em detalhes na auto biografia “Como os Animais Salvaram a Minha Vida”, no qual a autora assume a culpa pelo acidente. Na noite deste sábado, a ativista pelos direitos dos animais usou mais uma vez sua conta oficial para falar sobre os abusos que vem sofrendo, antes e depois de ter se separado do ex-marido.

Ela começa falando sobre como as mulheres, vítimas de violência, são acusadas como culpadas pelos abusos que sofrem e que com ela não foi diferente.

“Sempre que lemos notícias de mulheres abusadas, imaginamos isso com as outras, nunca dentro da nossa casa. Infelizmente, violência contra a mulher é uma cultura. Coloca-se o estuprador como vítima, pois ‘a mulher provocou’, coloca-se o agressor como inocente, pois ‘a mulher mereceu apanhar’. E agressão também se faz com palavras, atitudes e manipulações e nem sempre quem está presa em um relacionamento abusivo percebe isso”, começou ela.

Luisa conta sobre como se sentia em seu relacionamento e diz ter pensado várias vezes em sair de casa, chegava a duvidar da própria sanidade, mas que se segurava ao pensar no filho.

“Eu sou uma dessas mulheres. Muitas vezes, pensava em sair de casa, mas ia ficando. Questionava se não era eu a louca, como ele sempre afirmava quando eu tentava resistir aos abusos, se tudo aquilo realmente acontecia sem conseguir enxergar o relacionamento abusivo que sofria estando dentro dele. Me perguntava se não deveria aguentar tudo aquilo pelo meu filho. E em nome das minhas inseguranças e por acreditar que ele me amava, segui por anos sofrendo todos os tipos de abusos psicológicos e emocionais dentro de casa”, continuou.

Ela fala ainda sobre a dificuldade em se reconhecer como vítima e o medo de, caso denunciem, não serem compreendidas até mesmo pela própria família.

Leia Também

Leia Também

“Muitas mulheres, como eu tive, têm dificuldades de se ver como vítima, de enxergar o relacionamento abusivo e violento, de sermos incompreendidas na justiça e em nossa família. A vergonha de expor nossa privacidade e sermos desacreditadas, a falta de ter para onde ir, o medo do que pode acontecer com os filhos, nos faz ficar”, contou.

Reprodução/Instagram

Luisa Mell fala sobre acusações de ignorar vítima de acidente

Ela ainda fala sobre como, mesmo depois de já terem conseguido dar o primeiro passo, de sair de casa e se afastar do abusador, continuam sofrendo ameaças e retaliações. Luisa Mell conta sobre ser vítima de acusações financiadas pelo ex-marido, na tentativa de destruir o seu trabalho e de descredibilizar sua imagem perante o público, por meio de fake news, com financiamento de jornalistas sensacionalistas.

“Mas criar a coragem de sair, de denunciar, não é quase nunca o fim. Fica o medo depois da vingança, da retaliação. Ficam as ameaças! E comigo, não está sendo diferente. Agora que criei coragem de sair, de denunciar e falar sobre o assunto, estou sendo vítima de uma verdadeira organização criminosa financiada pelo meu ex-marido para destruir a minha reputação. Financiando jornalistas sensacionalistas que estão à venda, munindo pessoas sobre nossa intimidade como casal, estão criando todos os tipos de mentiras para me atacar. Sem escrúpulo algum e no momento mais frágil da minha vida”, declarou.

Por fim, ela se diz firme e que continuará lutando para que a violência contra ela e outras mulheres e que, mesmo sem ter as mesmas condições financeiras que o ex-marido, não ficará mais calada.

“Mas eu sou forte e vou lutar, mesmo não tendo todo o poder e dinheiro dele, mesmo me sentindo violentada por essas pessoas, mesmo tendo sido mutilada desacordada e contra minha vontade. Que a minha voz ecoe e ajude outras mulheres a se levantaram, a denunciarem a violência. Não podemos estar sozinhas!”, completou.





Source link

Author

Share