Tríplice Fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai tem natureza e cultura

Author

Categories

Share

Reprodução/A Camminare

Artística, imponente e muito elegante: saiba o que fazer em Viena e por que vale a pena visitar a cidade Austríaca depois da vacina

Com o avanço da vacinação contra Covid-19 no mundo inteiro , os turistas já estão se planejando para voltar a desbravar as viagens internacionais. Com os países reabrindo e o setor de turismo esquentando novamente, algumas cidades estão tendo descontos no preço das passagens aéreas . Para viajantes que querem apostar no primeiro destino fora do Brasil, Viena, na Áustria, pode ser a opção perfeita.

A capital austríaca é um ótimo destino para quem adora turismo histórico, boa comida, arquiteturas deslumbrantes e arte. Para quem quer viajar ainda esse ano, a média de preços de passagens de ida e volta está com mais de 40% de desconto*.

De acordo com a ferramenta de buscas Kayak, é possível conseguir passagens de ida e volta entre R$ 2,5 mil a R$ 3 mil neste período. Planejar com antecedência é uma das dicas de ouro para economizar durante a viagem .

O que fazer em Viena?

Cheia de pompa e dona de cenários esplêndidos, a Áustria é muito buscada devido ao seu grande valor histórico e artístico. A começar pelo fato de que Viena foi o local que abrigou a família Habsburgos, uma das famílias de nobres mais importantes da Europa ao longo do século 18. Por isso, a arquitetura imponente e bela marca a estética clássica da cidade, bem como de seus palácios, restaurantes e até bibliotecas.

Para quem quer ter um gostinho da realeza, vale a pena visitar o Palácio de Schönbrunn. O local servia como a “modesta” casa de veraneio do clã Habsburgo e foi casa da Imperatriz Isabel da Baviera, mas se tornou atração turística na década de 1950.

Com 1.440 quartos, o palácio foi construído em 1740 em estilo neoclássico. É possível entrar em apenas alguns dos aposentos. A parte externa é uma atração à parte: conta com um dos jardins mais bonitos do mundo e abriga o zoológico de Viena, o zoo mais antigo do mundo todo. O terraço também é aberto para visitação e descortina para uma vista privilegiada da região.

O palácio onde viviam os imperadores também é aberto para visitação. Com alas construídas no século 13, Hofburg foi a casa do império por muitos anos e é um prédio completamente imponente, todo construído em estilo barroco. Nos dias de hoje, o palácio é a sede da presidência da Áustria.

Catedrais e igrejas icônicas também são pontos de visitação que não podem faltar, principalmente devido à impressionante arquitetura de cada uma. Aqui, destacamos a Catedral Stephansdom, um verdadeiro símbolo gótico da cidade datado do século 12. A catedral vende ingressos para que turistas subam até o topo para apreciar a cidade de cima.

Turistas que curtem aventuras radicais também podem se encontrar em Viena. Isso porque a cidade conta com um parque de diversões público recheado de atrações chamado Parque Prater. Motanhas russas, chapéu-mexicano e elevadores garantem a festa de quem curte aventuras emocionantes.

O ponto alto do parque, no entanto, fica por conta da roda gigante Wiener Riesenrad. Com mais de 64 metros de altura, a atração oferece vistas espetaculares da cidade, seja no período diurno ou noturno. A velocidade é tranquila e vai animar quem gosta de passeios mais lights. Por ser um parque público não é preciso comprar ingressos, mas cada atração cobra um valor de entrada.

Cemitérios e jardins podem integrar roteiro

Viena oferece opções interessantes para quem adora paisagismo ou quer passar alguns minutos apenas apreciando uma vista tranquila. O Stadtpark é pomposo e é trabalhado em recortes do estilo inglês. Além disso, o terreno é dividido por um rio habitado por patos e cisnes.

Outro destaque é o Donaupark, parque que fica ao redor da torre de Danúbio e que reúne uma grande variedade de flores e áreas verdes. Os lagos do local são propícios para a prática de esportes.

Visitas a jardins de cemitérios também são comuns. Os mais “badalados” são o Cemitério Central de Viena, que tem cerca de 330 mil sepulturas e tumbas que existem desde 1874; e o St. Marx Cemetery, onde Wolfgang Amadeus Mozart está enterrado.

Explorando as margens do Rio Danúbio

Considerado o segundo rio mais longo da Europa, o Rio Danúbio liga Viena a outros países, como Alemanha, Sérvia, Croácia e Hungria. Essa proximidade torna possível fazer a travessia de barco para outros desses locais. Além disso, é comum que companhias de viagem disponham de pacotes de cruzeiros para ter um contato ainda mais intenso com o rio.

Além dos passeios de barco, um dos trechos do rio Danúbio em Viena serve como uma espécie de praia. A Copa Beach, que faz referência à Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, consiste em uma espécie de píer com areia artificial que atrai moradores e turistas para relaxar, andar de skate e até alugar pedalinhos.

Não só por replicar o clima tropical das terras tupiniquins, mas a praia é um dos pontos preferidos para quem busca por curtição e marca a vida noturna da cidade. Isso porque os arredores da Copa Beach abrigam diversos bares, restaurantes, pubs e até boates a céu aberto.

Você viu?

Passeios culturais e artísticos

Fãs de exposições artísticas também têm vez, já que Viena conta com uma grande variedade de museus e de coleções de arte da nobreza que, hoje, podem ser acessadas pelo público. Protegida pela estética barroca da estrutura do Palácio Belvedere está um museu que conta com toda a coleção do artista Gustav Klimt, que fez parte da corrente de simbolistas austríacos.

Vale a visita ainda ao Museu Albertina, com um grande acervo preservado de artes gráficas; o tradicional e clássico Museu de História da Arte, que reúne antiguidades das civilizações egípcias, orientais, gregas e romanas; o MuseumsQuartier, que tem mais de 60 mil m² e abriga prédios de diversos estilos arquitetônicos e recebe eventos artísticos; e o MUMOK, museu de arte contemporânea e moderna criado nos anos 1960.

A música clássica faz parte da história local principalmente por conta de duas figuras muito importantes para a cultura do país: Ludwig van Beethoven, que apesar de ser alemão passou grande parte da vida na Áustria e o prodígio Mozart.

É comum peças desses e outros compositores, como Johann Sebastian Bach e Antonio Vivaldi, serem apresentadas em diversas salas de concerto e até em igrejas, o que acrescenta ainda mais aura à experiência.

Caso o viajante queira ver alguma dessas apresentações de perto, vale ficar de olho no cronograma de salas de concerto tradicionais, como Kursalon Vienna e Sala Terrena, e igrejas como a de São Pedro (Peterskirche) e a de São Carlos (Karlskirche).

Culinária típica de Viena

A gastronomia também é um ponto muito forte em Viena. No entanto, amantes de café são os mais privilegiados do local. Isto porque as casas de café ou cafeterias, chamadas por lá de kafeenhäuser, estão enraizadas na cultura e na história local. Por serem ambientes aconchegantes e quentes, as casas de café se tornaram pontos de encontro tradicionais dos austríacos devido ao frio.

Algumas sugestões para conhecer é o Café Mozart, que fica pertinho da Opera House e do Palácio Imperial de Hofburg. Criado em 1794, o local recebe este nome por ter sido ponto de encontro da nata de artistas da época. O Café Hawelka também é um dos mais bonitos e tradicionais da cidade por sua decoração cheia de classe e pela atmosfera elegante.

Vinícolas e cervejarias também têm uma cultura bem forte em Viena. Além de experimentar as bebidas, esses locais são experts em cardápios que se harmonizam perfeitamente bem com os vinhos e cervejas. Se quiser conhecer uma vinícola bastante tradicional, com decoração rústica e campesina, a melhor opção é a Mayer am Pfarrplatz.

A culinária local também conta com muita variedade e versões de pratos de diversos países. Se o viajante gosta de passar boa parte do dia degustando novos sabores, a ida até o Naschmarkt será um acerto e tanto. O mercado de rua existe desde o século 16 e conta com mais de 100 barracas com comidas de diversos lugares. Naschmarkt está localizado perto do Palácio de Schönbrunn.

Uma sobremesa típica que deve ser experimentada é a torta de chocolate com geleia de damasco chamada sachertorte. A história afirma que a sobremesa foi criada no ano de 1832 especialmente para o príncipe Clemens Lothar Wenzel Metternich, importante diplomata da época que gostava de apresentar pratos inovadores para seus convidados.

Esse foi o prato que tornou o confeiteiro Franz Sacher famoso. Na época, ele era apenas um aprendiz e fez a receita devido à impaciência do chefe pessoal do príncipe. A referência para experimentar o prato na cidade é o luxuoso Hotel Sacher.

Se quiser uma experiência deslumbrante do início ao fim, reserve uma das noites para comer no Turm Restaurant, um restaurante que fica no topo da torre de Danúbio, chamada de Donauturm. A mais de 170 m do chão, o local oferece vistas panorâmicas em 360°.

Além disso, o cardápio conta com o melhor dos pratos típicos de Viana: o bife empanado Wiener Schnitzel; a Tafelspitz, que é uma carne de vitela servida com maçãs e rábano; e os frangos fritos e empanados fritos em banha de porco, chamados de Backhendl. É importante fazer uma reserva semanas antes da visita para não acabar sem conseguir comer por lá.

Como se locomover em Viena?

Quando o assunto é locomoção, Viena é uma cidade bastante versátil, interligada e bem sinalizada. O transporte público da cidade é acessível e pode ser a maneira mais fácil de andar por lá, principalmente o metrô (também conhecido como U-Bahn). Há ainda a possibilidade de se usar bondes (chamados de Strassenbahn) e ônibus (S-Bahn).

O serviço metroviário possui cinco linhas diferentes que interligam os principais pontos da cidade. As sinalizações de cada estação são simbolizadas com uma placa com a letra U. As rotas estão organizadas da seguinte forma:

  • U1: Linha vermelha
  • U2: Linha roxa
  • U3: Linha laranja
  • U4: Linha verde
  • U5: Linha castanha

O horário de funcionamento do metrô em dias de semana é das 5h até meia-noite, sendo que às sextas e sábado eles funcionam sem interrupções. Os bilhetes podem ser adquiridos em bilheterias das estações de metrô ou nas Wiener Linien (sinalizada com a placa WL), que são máquinas em tabacarias e estações de ônibus, bondes e trens. O valor unitário é de €2,40 (R$ 14,79) e o passe de 72 horas, €17,10 (R$ 105,36).

Viena também conta com o serviço de ônibus turísticos hop-on hop-off, que permitem que o viajante suba e desça quantas vezes desejar. Esse veículo tende a passar pelos principais pontos turísticos da cidade e conta com áudio em diversos idiomas que fala sobre o local onde se está passando.

O preço unitário para adultos varia de €38 (R$ 234,12) por um dia a €54 (R$ 332,70) por três dias. Ao optar pelos tíquetes premium, é possível ter acesso a passeios exclusivos. O ingresso comum dá acesso a mais de 60 atrações, mas não ao transporte público.

Há ainda serviços pela cidade de aluguel de bicicletas. Os pontos da Citybike Wien estão espalhados por Viena: o turista pode pegar uma para chegar até outro ponto e lá, devolver a bicicleta. Os primeiros 50 minutos são gratuitos. Depois disso, o tempo vai aumentando um euro de cada vez.

*Preços e cotações consultadas no dia 5 de agosto de 2021.





Source link

Author

Share